16th September 2014
O problema é que as pessoas dizem “eu te amo” mas esquecem daquele bilhetinho de “bom dia”, daquela mensagem de “boa noite, estou com saudade”, esquecem de perguntar se você está bem, assim sabe, só por perguntar mesmo. Esquecem do abraço sem pretexto, do presente fora de época, esquecem de dar atenção nos detalhes e isso, faz com que esse “eu te amo” perca o valor. Por que o amor não se alimenta de palavras, se alimenta de atitudes.

Pedro Bial. (via nevuei)

(Source: renunciador)

Reblogged from : camillacarolina
14th September 2014
Pessoas costumam dizer que tudo que acaba não foi verdadeiro. Talvez um dia uma amizade de vinte anos acabe, cada um vai pro seu lado e faz novos amigos, talvez um dia o amor da sua vida se canse e vá embora, conheça outra pessoa e fique com ela, um dia seus pais morrerão, um dia, todas as pessoas que você ama terão ido embora, a intensidade das coisas não pode ser determinada pela quantidade de tempo que elas duram, o big bang durou alguns instantes, mas suas consequências se arrastam até hoje, somos a poeira do mundo, a vida é um sopro, quando vemos, já se foi. Cada um sabe o que carrega dentro do coração e sabe melhor do que ninguém o quanto amou. A pessoa que disse que um casal juntos há vinte anos se ama mais que um de um casal juntos há mês estava errado. O ventilador funciona por causa da perturbação do ar que ele provoca, ele começa a girar e bate em uma molécula que bate na outra, que bate na outra, que bate na outra, formando uma cadeia infinita. Nossa matéria não é eterna, um dia os músculos atrofiam, a pele fica insossa, a beleza se vai, e um dia tudo apodrece, mas os nossos sonhos e sentimentos são como o ventilador, causam uma perturbação cósmica que perdurará para sempre, nossa carne se vai, mas os sonhos que nós sonhamos transformam-se em oxigênio que trará vida a outras pessoas, nossos sentimentos transforma-se-ão em luz, como estrelas, que guiarão e trarão esperança a mais pessoas. Uma amizade pode ter fim, um amor pode acabar, acabar neste plano limitado que costumamos chamar de vida, mas tornam-se eternos em um plano maior e mais sofisticado. O fim das coisas nunca servirá para explicar absolutamente nada, existir, viver, sonhar e produzir sentimentos e pensamentos vai muito além da nossa própria capacidade de entender-mos isso. Apesar de penoso, viver é essencialmente miraculoso, fabuloso e excelso, não somos uma simples obra do acaso, não somos folha seca jogadas ao vento. Nem tudo que termina tem um fim, aplausos, somos o detentores da eternidade.

Cristian.   (via sou-inseguro)

(Source: oescritor)

Reblogged from : sou-inseguro
8th September 2014
Um dia, perguntei para o psiquiatra: sou bipolar? Ele me disse: de bipolar você não tem nada. Você é sincera e tem sentimentos intensos. E me explicou a origem da palavra sincera, que vem do latim e significa “sem cera”. Antigamente, carpinteiros e escultores usavam cera para disfarçar os defeitinhos de esculturas e móveis de madeira. Então, eles lixavam, passavam verniz e tudo ficava aparentemente perfeito e em ordem. O aspecto das peças era magnífico. Com o passar do tempo, do frio, calor e uso, a cera ia se desmanchando e os defeitos iam ganhando vida. Sinceridade é “sem cera”, ou seja, sem máscaras, sem retoques, sem querer ser o que não é. Achei bonita a explicação dele. E triste. Dói ser “sem cera”.

Clarissa Corrêa.   (via sou-inseguro)

(Source: alcooltecimentos)

Reblogged from : sou-inseguro
6th September 2014
Sou flores, porque não consegui ser caule, nunca servi para dar suporte, sempre precisei mais do que podia oferecer. Raízes sempre foi o mais distante de mim, nunca servi para sustentar algo, ainda mais se tratando de um ser. Sempre fui a parte mais sensível, mais chamativa, mas servia só para isso, só mantia a aparência, enquanto dependia de suportes para sobreviver.

Julio Venori. (via sou-inseguro)

(Source: conjulguei)

Reblogged from : sou-inseguro